23.3.09

Este fim-de-semana a minha prima da aldeia, mais o marido, mais os meus tios vieram à cidade!

Mas não correu tudo bem, pelo menos para os meus lados...

Fiquei excitadíssima por saber da visita e como tal telefonei por duas vezes à minha mãe durante a tarde se já sabia alguma coisa. Entretanto, a minha prima telefonou-me a dizer que não conseguia falar com os meus pais e blá, blá e eu perguntei-lhe se ela já estava a chegar e gozou-me a dizer que ainda nem sequer sabia se vinha... Começou aqui a primeira irritação.

 

Mais ao final da tarde, voltei a telefonar à minha mãe, que respondeu-me de forma brusca que esteve toda a tarde à minha espera e que a minha prima já tinha chegado. Ora, depois de ter estado praticamente o dia todo à espera dela, sem ter a certeza real se ela vinha ou não, já me encontrava com um casal amigo e contava jantar com eles e como tal recusei ir a casa da minha mãe, para ver a minha prima. Elas não gostaram.

Fiquei numa posição incómoda: não me agradou ter que recusar, mas também já tinha as coisas combinadas com os meus amigos, depois a minha cara-metade não estava também a gostar do rumo das coisas. Ora era pressão de um lado e do outro. Passado meia hora, a minha prima telefona-me, a dizer que estava desiludida comigo, que quando eu ia lá à aldeia largava tudo para estar comigo (o que não era inteiramente verdade!), blá, blá e lá me conseguiu convencer a ir jantar a casa dos meus pais, deixando de poder estar com os meus amigos...

O jantar até correu bem, mas eu não fui de boa vontade, senti-me obrigada a ir lá. As circunstâncias não foram as melhores e em vez de poder escapar mais cedo do jantar para ir ter com os meus amigos, acabaram por nos 'obrigar' a ficar por lá, num convívio forçado.

No dia seguinte, no Domingo, sentia-me bem disposta e vi com bons olhos o almoço. Os meus tios, que moram para os lados de Valongo voltaram a juntar-se a nós e parecia um autêntico casamento... 

Depois, quatro dos cinco homens juntaram-se para um jogo da sueca e a minha mãe cismou que tinha que ir passear até à praia. Levou a minha prima, uma das minhas tias e o meu primo foi de bicicleta. Até aqui tudo bem, não fosse o facto de eu não estar a gostar de me imiscuir nas conversas delas, nas cusquices e querer estar sossegada a ler um livro, enquanto elas me gozavam de forma até bastante cruel, ainda que talvez intencionalmente. Tentei ignorar, mas aquilo estava a dar-me a volta ao estômago. Depois disse que dali a vinte minutos as fosse buscar à praia. Perguntou se eu queria? Não, mandou e acabou a conversa...

Depois veio o lanche e eu queria ir-me embora dali e o meu marido também, que não suporta toda esta hipocrisia. Ora, esperei até às cinco da tarde, que a minha prima se decidisse a ir conhecer o meu estaminé. Quando finalmente me disse que desta vez não ia, que ficava para a próxima quando visitasse o irmão (o meu primo mora a poucos quarteirões da minha casa), explodi! Ora, moro há mais de um ano e meio naquela casa e ela já foi várias vezes a casa do meu primo e nem sequer se dignou a dizer que vinha para Gaia? Ora, mais uma vez estava a gozar comigo!

A minha mãe não gostou da minha reacção. Eu só estava ali mesmo à espera que a minha prima me dissesse alguma coisa, porque nem sequer tinha necessidade de ir a minha casa. Os planos para a noite era ir casa de uns amigos ver o jogo do FCP pela televisão e jantar por lá. A minha mãe começou logo com o seu interrogatório, de forma sarcástica: 'tens que ir tão cedo para o Porto? O que vais lá fazer? Não podias ficar mais um pouco com a tua prima? Ela veio também para estar contigo e tu já vais tão cedo embora?'

O quê?, o quê? Passei-me dos carretos mais uma vez! E virei-me para elas as duas: 'Se a N. quisesse mesmo estar comigo não tinha vindo ontem ao final da tarde! Tinha vindo mais cedo, tinha vindo de manhã! Agora vou-me embora!'

 

Que PORCARIA de fim-de-semana!

 

A explicação disto tudo deve-se à hipocrisia envolvida, de algumas coisas que já expliquei: a minha mãe fica chateada porque muitas vezes eles vêm ao Porto e não lhe dizem nada; este fim-de-semana os meus tios ficaram em casa dela, porque o meu primo teve que ir para Lisboa. Isto revolta-me, porque, apesar de eles serem família, não consigo fingir que nada se passa!
 

 

sinto-me:
link do postescrito por anid, às 13:56 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisa
 
mais sobre mim
Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12

15
18


30
31


Leitura em curso
Neste momento não leio nada, apenas escrevo...
comentários recentes
PROGRAMA DE AFILIADOS!Você está a procura de um re...
aqui no Brasil a gente fala muito mal o nosso idio...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
por acaso tambem andei muito a procura desta music...
Posts mais comentados
subscrever feeds
blogs SAPO